Página do Informativo

DOM JOSÉ CARLOS DE OLIVEIRA
BISPO DIOCESANO DE APUCARANA - PR



Dom Carlos José de Oliveira, na sua 1ª Missa como Bispo beija a Pia Batismal na Matriz da Paróquia Sagrado Coração de Jesus, em Botucatu, onde foi batizado – 23/03/2019


BANDEIRA DO DIVINO

- Durante o Tempo Pascal as Bandeiras do Divino visitam as famílias das 10 Regiões Missionárias.

- Cada Região Missionária conta com um Responsável pela Bandeira do Divino.

- Os Responsáveis recebem as Bandeiras do Divino na Matriz, na Missa das 19h, do domingo de Páscoa.

- Cada Responsável se organiza de modo que a Bandeira do Divino possa visitar o maior número possível de Famílias.

- As Bandeiras do Divino retornam à Matriz, na Missa das 19h, na Solenidade de Pentecostes.


EXORTAÇÃO APOSTÓLICA PÓS-SINODAL “ CHRISTUS VIVIT”
AOS JOVENS E A TODO O POVO DE DEUS - PAPA FRANCISCO 25/03/2019

CRISTO VIVE

Com afeto, escrevo a todos os jovens cristãos esta Exortação Apostólica, ou seja, uma carta que recorda algumas convicções da nossa fé e, ao mesmo tempo, encoraja a crescer na santidade e no compromisso em prol da própria vocação. Mas, dado que é um marco miliário dentro dum caminho sinodal, dirijo-me simultaneamente a todo o Povo de Deus, aos pastores e aos fiéis, porque a reflexão sobre os jovens e para os jovens nos interpela e estimula a todos nós.
Por isso, nalguns parágrafos falarei diretamente aos jovens, enquanto noutros oferecerei abordagens mais gerais para o discernimento eclesial.




CAPÍTULO I: QUE DIZ A PALAVRA DE DEUS SOBRE OS JOVENS?

No Antigo Testamento: Samuel era um adolescente inseguro, mas o Senhor comunicava com ele. Graças ao conselho dum adulto, abriu o seu coração para escutar a chamada de Deus: «Fala, Senhor; o teu servo escuta» (1 Sm 3, 9-10). Por isso, foi um grande profeta que interveio em momentos importantes da sua pátria. O rei Saul também era um jovem, quando o Senhor o chamou para cumprir a sua missão (cf. 1 Sm 9, 2).
No Novo Testamento: Conta uma parábola de Jesus (cf. Lc 15, 11-33) que o filho «mais jovem» quis partir da casa paterna para um país distante (cf. 15, 12- 13). Mas, os seus sonhos de autonomia transformaram-se em libertinagem e devassidão (cf. 15, 13), e provou a dureza da solidão e da pobreza (cf. 15, 14-16). Todavia, foi capaz de reconsiderar e começar de novo (cf. 15, 17-19): decidiu levantar-se (cf. 15, 20). Há, sem dúvida, muitos outros textos da Palavra de Deus que nos podem iluminar acerca desta fase da vida.



EXORTAÇÃO APOSTÓLICA PÓS-SINODAL “ CHRISTUS VIVIT” 25/03/2019



CAPÍTULO VI: JOVENS COM RAÍZES


Já me aconteceu ver árvores jovens, belas, que elevavam seus ramos sempre mais alto para o céu; pareciam uma canção de esperan- ça. Mais tarde, depois duma tempestade, encontrei-as caídas, sem vida. Estenderam os seus ramos sem se enraizar bem na terra e, por ter poucas raízes, sucumbiram aos assaltos da natureza. Por isso, custa-me ver que alguns propõem aos jovens construir um futuro sem raízes, como se o mundo começasse agora. Com efeito, «é impossível uma pessoa crescer, se não possui raízes fortes que a ajudem a estar firme de pé e agarrada à terra. É fácil extraviar-se, quando não temos onde agarrar-nos, onde firmar-nos». No Sínodo, um dos jovens auditores, vindo das Ilhas Samoa, disse que a Igreja é uma canoa, na qual os idosos ajudam a manter a rota, interpretando a posição das estrelas, e os jovens remam com força imaginando o que os espera mais além. Não nos deixemos extraviar nem pelos jovens que pensam que os adultos são um passado que já não conta, que já está superado, nem pelos adultos que julgam saber sempre como se deveriam comportar os jovens. O melhor é subirmos todos para a mesma canoa e, juntos, procurarmos um mundo melhor, sob o impulso sempre novo do Espírito Santo


FESTA DO PADROEIRO 2019



Dias 01 e 02/8 e 09 de junho de 2019, sob a coordenação do casal Renata e Marcelo Aguiar, acontece a Festa do Padroeiro da Paróquia Sagrado Coração de Jesus! A Quermesse será realizada na Praça da Matriz, aos sábados e domingos à noite; o almoço aos domingos no Salão Paroquial, a partir das 12h. Contamos com a colaboração e presença de todos!
A Festa religiosa, neste ano, será celebrada no dia 28 de junho, com o Tríduo de preparação nos dias 25, 26 e 27 de junho, às 19:30h, na Matriz



UNÇÃO DOS ENFERMOS

No mês de maio será administrado o Sacramento da Unção dos Enfermos aos Enfermos e Idosos com mais de 60 anos de idade das 10 Regiões Missionárias.

PROGRAMAÇÃO
- 02/05: Região Missionária 1 / 07/05: Região Missionária 2 / 09/05: Região Missionária 3 / 16/05: Região Missionária 4 / 21/05: Região Missionária 5 / 23/05: Região Missionária 6 / 28/05: Região Missionária 7 / 30/05: Região Missionária 8 / 31/05: Regiões Missionárias 9 e 10.
- Os Enfermos e Idosos que podem se locomover serão reunidos num local central, anteriormente combinado.
- Os Enfermos e Idosos que não podem se locomover receberão a Unção dos Enfermos, no mesmo dia, em suas residências, mas após a Unção comunitária.
- A organização para a administração do Sacramento dos Enfermos e Idosos é de responsabilidade dos MECEs de cada Região Missionária, com a colaboração de outras pessoas voluntárias.
- O horário para a Unção comunitária será às 14:30h. Na Região Missionária 9 será no dia 31/05 às 10h.
- Os MECEs devem deixar na Secretaria Paroquial o endereço da Unção Comunitária e os endereços das pessoas que serão ungidas em suas residências. “ Os pastores devem, pois, cuidar que a recepção deste Sacramento não seja protelada, mas que os fiéis possam ser nutridos por ele ainda em plena lucidez” .

Diretório Arquidiocesano da Pastoral dos Sacramentos
Unção dos Enfermos


CAPÍTULO II: JESUS CRISTO SEMPRE JOVEM

Na adolescência e juventude, a sua relação com o Pai era a do Filho muito amado; atraído pelo Pai, crescia ocupando-Se das coisas d’Ele: «Não sabíeis que devia estar em casa de meu Pai?» (Lc 2, 49). Mas, não devemos pensar que Jesus fosse um adolescente solitário ou um jovem fechado em si mesmo. A sua relação com as pessoas era a dum jovem que compartilhava a vida inteira duma família bem integrada na aldeia. Aprendera o ofício do pai e, depois, substituiu-o como carpinteiro.
Por isso no Evangelho, uma vez, é chamado «o filho do carpinteiro» (Mt 13, 55) e, outra, simplesmente «o carpinteiro» (Mc 6, 3). Este detalhe mostra que era um rapaz da aldeia como os outros, relacionando-Se com toda a normalidade. Ninguém O considerava um jovem estranho ou separado dos outros. Por isso mesmo, quando Jesus começou a pregar, as pessoas não sabiam explicar donde Lhe vinha aquela sabedoria: «Não é este o filho de José?» (Lc 4, 22).





CAPÍTULO III: VÓS SOIS O AGORA DE DEUS

Poderíamos procurar descrever as caraterísticas dos jovens de hoje, mas, antes de mais nada, quero registar uma observação dos Padres Sinodais: a própria «composição do Sínodo tornou visível a presença e a colaboração das diferentes regiões do mundo, evidenciando a beleza de ser Igreja universal. Embora num contexto de crescente globalização, os Padres Sinodais pediram para salientar as múltiplas diferenças entre contextos e culturas, inclusive dentro do mesmo país. Existe uma pluralidade de mundos juvenis, a ponto de se tender, nalguns países, a usar o termo “juventude” no plural. Além disso, a faixa etária considerada pelo presente Sínodo (16-29 anos) não representa um todo homogêneo, mas compõe-se de grupos que vivem situações peculiares».



CAPÍTULO VII: A PASTORAL DOS JOVENS

A pastoral juvenil, tal como estávamos habituados a realizá-la, foi destronada ou sacudida pelas mudanças sociais e culturais. Nas estruturas habituais, muitas vezes os jovens não encontram resposta para as suas inquietudes, necessidades, problemas e feridas. A proliferação e o crescimento de associações e movimentos com caraterísticas predominantemente juvenis podem ser interpretados como uma ação do Espírito que abre novos caminhos. Mas é necessário um aprofundamento da sua participação na pastoral de conjunto da Igreja, bem como uma maior comunhão entre eles e uma melhor coordenação da atividade. Embora nem sempre seja fácil abordar os jovens, estamos a crescer em dois aspetos: a consciência de que é toda a comunidade que os evangeliza e a urgência de que os jovens sejam mais protagonistas nas propostas pastorais.


Capítulo VIII: A VOCAÇÃO

A palavra «vocação» pode-se entender em sentido amplo como chamada de Deus. Inclui a chamada à vida, a chamada à amizade com Ele, a chamada à santidade, etc. Isto tem um grande valor, porque coloca toda a nossa vida diante de Deus que nos ama, permitindo-nos compreender que nada é fruto dum caos sem sentido, mas, pelo contrário, tudo pode ser inserido num caminho de resposta ao Senhor, que tem um projeto estupendo para nós Na Exortação Apostólica Gaudete et exsultate, quis deter-me sobre a vocação que todos temos de crescer para a glória de Deus, propondo-me «fazer ressoar mais uma vez a chamada à santidade, procurando encarná-la no contexto atual, com os seus riscos, desafios e oportunidades». O Concílio Vaticano II ajudou-nos a renovar a consciência desta chamada dirigida a cada um:
«Munidos de tantos e tão grandes meios de salvação, todos os fiéis, seja qual for a sua condição ou estado, são chamados pelo Senhor à perfeição do Pai, cada um por seu caminho»




PARAPSICOLOGIA: UMA CIÊNCIA A SERVIÇO DA FÉ, DA LIBERTAÇÃO E DA VIDA

Como, quando e por que surgiu a Parapsicologia?
Aos poucos a Parapsicologia foi compreendendo esses fenômenos estranhos, aparentemente sem explicação, todos, até então, atribuídos à ação do diabo ou aos espíritos dos mortos.
Alguns fenômenos ofereceram maior dificuldade para se determinar a sua origem. Por exemplo, o caso de uma pessoa descrever acontecimentos à distância, totalmente fora do alcance dos sentidos, dando a impressão que estava presente aos fatos; pessoas que demonstravam conhecer os pensamentos e sentimentos de outras pessoas à distância ou pessoas que conheciam ou podiam prever fatos que aconteceriam somente no futuro.
Dr. Joseph Rhine ( 1895-1980)


FAMÍLIA: HARMONIA CONJUGAL E EDUCAÇÃO DOS FILHOS

Os jovens, o amor e a educação sexual
É preciso não enganar os jovens, levando-os a confundir os planos: a atração «cria, por um momento, a ilusão da “união”, mas, sem amor, tal união deixa os desconhecidos tão separados como antes». A linguagem do corpo requer uma aprendizagem paciente que permita interpretar e educar os próprios desejos em ordem a uma entrega de verdade. Quando se pretende entregar tudo duma vez, é possível que não se entregue nada. Uma coisa é compreender as fragilidades da idade ou as suas confusões, outra é encorajar os adolescentes a prolongarem a imaturidade da sua forma de amar.
Mas, quem fala hoje destas coisas? Quem é capaz de tomar os jovens a sério? Quem os ajuda a preparar-se seriamente para um amor grande e generoso? Não se toma a sério a educação sexual. Papa Francisco – Exortação Apostólica Pós- Sinodal Amoris Laetitia, sobre o amor na Família, nº 284 – Roma – 19/03/2016


Estas dificuldades começaram a ser superada em 1927, quando, na Duke University, Carolina do Norte, nos Estados Unidos, o Dr. Joseph Rhine e sua equipe começaram uma série de experimentos com o objetivo de descobrir se o ser humano possui ou não uma outra faculdade através da qual possa obter conhecimentos, ou seja, além da percepção sensorial.
Sete anos mais tarde, em 1934, Joseph Rhine apresenta ao mundo o relatório de milhares de experimentos sob o título: “ Extra Sensory Percepcion (ESP), comprovando, pelo método estatístico, a existência no ser humano, de uma faculdade espiritual de conhecimento; uma faculdade que prescinde da mediação dos sentidos. Caía, assim, por terra o princípio filosófico que afirmava: “ Nihil est in intellectu quod non antea fuerit in sensu”. Ou seja: “ Nada há no intelecto que não tenha passado, primeiro, pelos sentidos”.
A investigação científica que veio se desenvolvendo de modo independente e à margem da Psicologia oficial, de 1905 até 1934, recebeu o nome de Metapsíquica. Com o trabalho de Joseph Rhine consagrou-se com o nome de Parapsicologia. Continua... ( Cf. Benjamim Bossa, Parapsicologia, o poder da mente e os mistérios da vida, Edições Loyola)


PARA REFLETIR

A raiva e o barco vazio

Um grande sábio vendo que um de seus alunos não conseguia conter sua raiva e sua fúria interior resolveu lhe contar uma pequena estória:
“Quando eu era jovem, adorava navegar de barco. Eu tinha um barquinho e remava sozinho em um lago. Ficava ali durante horas.
Uma vez, eu estava no meu barco, de olhos fechados, meditando, numa noite esplêndida. Então, outro barco veio flutuando, trazido pela corrente, e bateu no meu.
Meus olhos estavam fechados, então eu pensei: alguém bateu o barco no meu. Enchi-me de raiva. Abri os olhos e estava a ponto de vociferar algo para o homem, quando percebi que o barco estava vazio!



A IGREJA E A INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL


Assembleia Geral da Pontifícia Academia pela Vida – Vaticano – 25/02/2019


Vatican insider: Dom Paglia. a Santa Sé está contando com a colaboração dos cientistas e filósofos em vista de uma pronunciamento oficial a respeito da inteligência artificial?
Dom Vincenzo Paglia: Nestes anos a Pontifícia Academia para a Vida tem demostrado um específico e grande interesse pelas novas tecnologias, dedicando o biênio 2019-2020 ao estudo da Robótica e às questões ético-antropológicas relacionadas às assim chamadas “inteligências artificiais”. E esse é, antes de tudo, um pedido feito pelo próprio Papa Francisco, o qual pediu que a Pontifícia Academia para a Vida entre e se aprofunde nos territórios da ciência e da técnica, estudando-as com coragem e discernimento.
Vatican Insider: Qual é a posição do Papa a respeito desse assunto, a inteligência artificial?
Dom Vincenzo Paglia:
O Papa servindo-se dos resultados obtidos pela Física, Genética e Neurociência, como também da constatação da capacidade de cálculo de máquinas cada vez mais potentes, acredita que hoje já é possível, sim, intervir de modo muito profundo na matéria vivente. E mesmo o corpo humano é susceptível de sofrer interven- ções tais, que possam modificar não somente as suas funções, como também o modo de suas relações, no que diz respeito ao plano pessoal e social, ficando infelizmente cada vez mais exposto à lógica do mercado.
Por isso, segundo o Papa Francisco, é preciso compreender as transformações atuais que se anunciam sobre estas novas fronteiras, para saber como orientá- -las em vista do serviço à pessoa humana, respeitando e promovendo a sua intrínseca e insubstituível dignidade. (OBS – Dom Vincenzo Paglia, é, desde 2016, o Presidente da Pontifícia Academia para a Vida). Fonte: Vatican Insider – 04/04/2019


PROJETO DE REFORMA – 3ª ETAPA

Conclusão do Projeto de Reforma – 2ª Etapa – Troca do Beiral e Pintura Externa

Considerando a atual situação econômica da Paróquia, o Conselho Administrativo Paroquial – CAP – em vez de esperar até julho de 2019 como tinha sido planejado, decidiu iniciar, já, no mês de abril, o Projeto de Reforma – 3ª Etapa, que consiste no acabamento das obras do Salão Paroquial Menor, localizado no sub- solo do Salão Paroquial Maior, com cozinha, dispensa, banheiro e capacidade para 100 pessoas



BENÇÃO DAS CASAS

- Nas 6ª feiras, das 09h às 11:30h, o Padre benze casas nas Regiões Missionárias. - As Coordenadoras Gerais das Regiões Missionárias são as responsáveis em preparar a Lista de mais ou menos 10 famílias que serão visitadas.
- Na segunda-feira, a Secretaria Paroquial avisa a Coordenadora Geral da Região Missionária na qual o Padre estará realizando as visitas.
- Na 5ª feira a Coordenadora Geral deixa ou envia a Lista para a Secretaria Paroquial com os nomes e endereços das famílias que vão ser visitadas na sexta-feira.


IGREJA NA CHINA

Catedral da Diocese de Baoding, Província Eclesiástica de Pequim, na China, dedicada a São Pedro e São Paulo

Na cidade de Shizhuang, na Diocese de Baoding, na China, os Católicos, por décadas divididos entre “ oficiais” – reconhecidos pelo Governo Comunista - e “ clandestinos” – fieis ao Papa - , depois de obter a autorização das autoridades civis, iniciaram, juntos, a adaptação de uma fábrica abandonada, em lugar de encontro, de oração e de celebra- ção dos Sacramentos .
Até pouco tempo atrás, o grupo clandestino rezava nas casas. Depois da reconciliação, resultado do Acordo China-Santa Sé( 22/09/2018), as igrejas do grupo “oficial” não conseguiram conter o número de participantes, agora, todos reconciliados. Enquanto se preparam para a construção de uma igreja maior, estão se reunindo nessa fábrica abandonada, igreja improvisada.
Durante a Revolução Cultural (1966-1976), eram as Catedrais e as igrejas que se transformavam em fá- bricas, depósitos... Nesse período, Mao Tsé Tung chegou mesmo a declarar que “ na China a religião não mais existia”.
“ Desejamos e esperamos por anos pela unidade. Agora, o momento chegou e se percebe os passos da primavera que se aproxima”, diz o Bispo Diocesano de Baoding, Dom Francisco Aa Shuxin. Fonte: Vatican Insider – 05/04/2019


TEOLOGIA DA LIBERTAÇÃO: PERIGO OU OPORTUNIDADE?

(Cardeal Joseph Ratzinger – Prefeito da Congregação para a Doutrina da Fé, de 1981 a 2005, quando foi eleito Papa)

O Evangelho de Jesus Cristo é mensagem de liberdade e força de libertação. Esta verdade essencial tornou-se, nos últimos anos, objeto da reflexão dos teólogos, com uma nova atenção que, em si mesma, é rica de promessas.
A libertação é antes de tudo e principalmente libertação da escravidão radical do pecado. Ela exige, por uma consequência lógica, a libertação de muitas outras escravidões, de ordem cultural, econômica, social e política, que, em última análise, derivam todas do pecado e constituem outros tantos obstáculos que impedem os homens de viver segundo a própria dignidade.
A Congregação para a Doutrina da Fé não pretende tratar aqui o vasto tema da liberdade cristã e da libertação em si mesmo. Propõe-se fazê-lo num documento posterior, no qual porá em evidência, de maneira positiva, toda a sua riqueza, tanto para a doutrina como para a prática.
A presente Instrução tem uma finalidade mais precisa e mais limitada: quer chamar a atenção dos pastores, dos teólogos e de todos os fiéis, para os desvios e perigos de desvio, prejudiciais à fé e à vida cristã, inerentes a certas formas da eologia da libertação que usam, de maneira insuficientemente crítica, conceitos assumidos de diversas correntes do pensamento marxista. Continua... (Sagrada Congregação para a Doutrina da Fé - Instrução sobre alguns aspectos da “ Teologia da Libertação”- Introdução - 06/08/1984)


EQUIPE PAROQUIAL DE FORMAÇÃO

2º Grupo: com a participação de membros dos Setores Pastoral Familiar, Catequese e Pastorais Sociais

No dia 08 de abril teve início o 2º Grupo que vai receber o conteúdo do Kerígma ( Anúncio, Conversão, Discipulado, Comunhão e Missão) que está sendo apresentado pelos membros da Equipe Paroquial de Formação, seguindo as orientações do Projeto Arquidiocesano de Formação.
São 5 Encontros, sempre às segundas-feiras, das 19:30h às 21:30h: 08/04 – 15/04 – 22/04 – 29/04 e 06/05






Mateus 11:28-30

"Vinde a mim, todos os que estais cansados e oprimidos, e eu vos aliviarei. Tomai sobre vós o meu jugo, e aprendei de mim, que sou manso e humilde de coração; e encontrareis descanso para as vossas almas. Porque o meu jugo é suave e o meu fardo é leve".



Links

  • bootstrap business template
    Aparecida
    Santuário Nacional de Aparecida
  • Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB)
  • Arquidiocese Sant’Ana de Botucatu
  • A SANTA SÉ

Nosso endereço

Matriz Sagrado Coração de Jesus
Praca Cav. Virgilio Lunardi, s/n - Vila dos Lavradores - Botucatu- SP
Fone:(14) 3882-0297
Email:secretaria@scjbotucatu.com.br
Link: www.scjbotucatu.com.br

© 2018, SCJ-Botucatu